Travessia do rio Sena – Corrida da Diáspora

O termo “diáspora” é usado com muita frequência para fazer referência à dispersão do povo hebreu no mundo antigo, a partir do exílio na Babilônia no século XV a.C. (Ivan vai adorar esta introdução, pois ele é um verdadeiro contador de histórias. Podemos também chama-lo de Forrest Ivan)

Pois bem, “diáspora”, era uma palavra que não fazia parte do vocabulário dos CFDS há algumas semanas. Mas chegou o momento de crise desse grupo de amigos, que buscavam a qualidade de vida através da pratica da corrida de rua. Os treinos já não são os mesmo e os finais de semana também. Cada um no seu quadrado.

Como forma de resistência e também para despertar novamente a união deste grupo, Ivan, Peu, Tarcisio e Borges buscaram um novo desafio pelas ruas e rios do Recife. O Coroa Voador de última hora não compareceu e por isto os corredores não aliviaram nas brincadeiras, mas depois souberam que a ausência era por um motivos justo, dor no diafragma. kkk

No caminho varias lições de vidas apareceram no destino destes jovem corredores, talvez como forma de aviso ao integrantes deste grupo. Para cada personagem um ensinamento.

Primeiramente as estudantes que tiveram fotos em frente ao palácio mostraram a importância da perseverança e a felicidade de atingir os objetivos traçados na vida.

Os pescadores contaram suas histórias que geram dúvidas da veracidade, porém a lição da relação deles com o rio foi o que mais valeu. Além da relação de consumo dos peixes, os pescadores se mostraram também responsáveis por ajudar na limpeza e freqüentemente fazem seus mutirões para tirar a sujeira que passa por ali.

O Sr. Ronaldo, uma figura ilustre do centro do Recife, faz travessia em seu barco de madeira do Marco Zero para os arrecifes, onde os turistas podem conhecer as esculturas de Brennand. Além disso, faz passeios pelos rios do Recife, passando por baixo das pontes. Ele contou sobre a perda que sofrera recentemente, pois tinha perdido sua esposa e o nome do barco era em homenagem a ela. Pessoas como Sr. Ronaldo que passam por situações como esta, mas continuam em frente com sua jornada.

O Luiz deu uma das maiores lições do dia. Mostrou seu trabalho solidário em sua comunidade de Brasília Teimosa, onde nos finais de semana trabalha como técnico de futebol das criançada da comunidade. Ele diz que é uma forma de tirar os meninos das drogas.

O funcionário da Prefeitura falou sobre a dificuldade de largar o cigarro. Os corredores deram a maior força para que ele consiga largar este vício.

Por fim, este foi um dos passeios dos CFDS mais ricos e mais bonitos. Foi um passeio de uma energia super positiva, que este grupo tanto precisa. Daqui por diante os CFDS devem ter mais união.

Assistam o vídeo completo:

4 thoughts on “Travessia do rio Sena – Corrida da Diáspora

  1. Mano (Pangaré Cavalo Manco) disse:

    Show de Bola pessoal !!! Cada vez melhor os nossos recreativos. Uma pena que eu não pudi ir, de fato me parece que este foi o mais divertido, mas outros virão…

    Até lá grande abraço do pangaré.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s